Conheça mais sobre Resíduos Industriais

Resíduos é o resultado de processos de diversas atividades da comunidade de origem: industrial, doméstica, hospitalar, comercial, agrícola, de serviços e ainda da varrição pública. O lixo gerado pelas atividades industriais é tecnicamente conhecido como resíduo e os geradores são obrigados a cuidar do gerenciamento, transporte, tratamento e destinação final de seus resíduos, e essa responsabilidade é para sempre.

Os resíduos apresentam-se nos estados sólidos, gasoso e líquido e são classificados da seguinte forma:

Classificação do Resíduos
Quanto às características físicas: Seco/ Molhado
Quanto à composição química: Orgânico/ Inorgânico
Quanto à origem: Domiciliar/ Comercial/ Serviços públicos/ Hospitalar/ Radioativo/ Agrícola/ Entulho/ Industrial/ Portos, aeroportos, terminais rodoviários e ferroviários

 

Os resíduos industriais são originados nas atividades dos diversos ramos da indústria, tais como: o metalúrgico, o químico, o petroquímico, o de papelaria, da indústria alimentícia, etc. O lixo industrial é bastante variado, podendo ser representado por cinzas, lodos, óleos, resíduos alcalinos ou ácidos, plásticos, papel, madeira, fibras, borracha, metal, escórias, vidros, cerâmicas. Nesta categoria, inclui-se grande quantidade de lixo tóxico. Esse tipo de lixo necessita de tratamento especial pelo seu potencial de envenenamento.

Os Resíduos da construção civil são demolições e restos de obras, solos de escavações. O entulho é geralmente um material inerte, passível de reaproveitamento.

 CLASSES DOS RESÍDUOS SÓLIDOS

No dia 31 de maio de 2004 a ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas publicou a nova versão da sua norma NBR 10.004 - Resíduos Sólidos. Esta Norma classifica os resíduos sólidos quanto aos seus riscos potenciais ao meio ambiente e à saúde pública, para que possam ser gerenciados adequadamente.
A partir da classificação estipulada pela Norma, o gerador de um resíduo pode facilmente identificar o potencial de risco do mesmo, bem como identificar as melhores alternativas para destinação final e/ou reciclagem.

De acordo com a NBR/ABNT 10.004 (2004), os resíduos dividem-se em:

Resíduos Classe I - Perigosos

São classificados como resíduos classe I ou perigosos, os resíduos ou mistura de resíduos que, em função de suas características de inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade e patogenicidade, podem apresentar risco à saúde pública, provocando ou contribuindo para um aumento de mortalidade ou incidência de doenças e/ou apresentar efeitos adversos ao meio ambiente, quando manuseados ou dispostos de forma inadequada.

Os resíduos industriais e alguns domésticos, como restos de tintas, solventes, aerosóis, produtos de limpeza, lâmpadas fluorescentes, medicamentos vencidos, pilhas e outros, contêm significativa quantidade de substâncias químicas nocivas ao meio ambiente.

Quando não são adequadamente manejados, os resíduos perigosos contaminam o solo, as águas e o ar. Alguns exemplos de resíduos perigosos, que devem ser dispostos adequadamente para evitar riscos ao homem e ao meio ambiente são, pilhas e baterias lâmpadas e rejeitos radioativos, e etc.

Resíduos Classe II A – Não inertes

São classificados como II A ou resíduos não inertes, os resíduos sólidos ou mistura de resíduos sólidos que não se enquadram na Classe I - perigosos ou na Classe III ou II B- inertes. Estes resíduos podem ter propriedades tais como: combustibilidade, biodegradabilidade ou solubilidade em água. Como exemplos destes materiais, pode-se citar: certos lodos de ETE, orgânicos, papéis e etc.

Resíduos Classe II B – Inertes

São classificados II B ou resíduos inertes, os resíduos sólidos ou mistura de resíduos sólidos que, submetidos ao teste de solubilização (Norma NBR 10006 - "Solubilização de resíduos - Procedimento") não tenham nenhum de seus constituintes solubilizados em concentrações superiores aos padrões definidos na Listagem 8 - " Padrões para o Teste de Solubilização". Como exemplos destes materiais, pode-se citar: rochas, tijolos, vidros e certos plásticos e borrachas que não são facilmente decompostos.
Os resíduos inertes não podem ser solúveis nem inflamáveis, nem ter qualquer outro tipo de reação física ou química e não podem ser biodegradáveis, nem afetar negativamente outras substâncias com as quais entrem em contato, de forma suscetível de aumentar a poluição do ambiente ou prejudicar a saúde humana.